Author Archives: Ivens M Gomes

Highlands e Lago Ness

Depois de nos aventurarmos por alguns dias na belíssima cidade “mal-assombrada” de Edimburgo (clique aqui para ler o post), pegamos um ônibus – melhor meio de transporte na Escócia – e nos mandamos para as Highlands, região no centro-norte do país.

Rio Ness e Inverness

Rio Ness e Inverness

Lá, escolhemos Inverness como nossa cidade-base. Pela sua localização, importância turística e pelo seu tamanho relativamente grande (para os padrões de uma cidade interiorana europeia!), Inverness é conhecida como a “capital das Highlands”, muito embora a região não tenha uma capital. Todos os guias que lemos dão a dica de tomá-la como base para conhecer a região, já que a cidade é central e tem boas conexões para os pontos de interesse nas Highlands.

Ivens e Camilla no Castelo de Inverness

Castelo de Inverness

Em Inverness mesmo passamos 1 dia e 1 noite. Nesse tempo, visitamos o Inverness Castle, que é hoje um órgão do governo,  passeamos nas margens do Rio Ness, e desfrutamos do ótimo clima da cidade. A cidade em si é muito bonita, pacata e bem pequena, uma típica cidade interiorana europeia.

Mas as pessoas que vão para Inverness querem mesmo é explorar as maravilhas das Highlands, que não são poucas. Infelizmente, nós não tínhamos muito tempo para conhecer todas elas. Então, além de conhecer e passear por Inverness (no primeiro dia), no segundo dia decidimos visitar uma das atrações principais da Escócia: o  Lago Ness.

Vista do Lago Ness

Vista do Lago Ness

Esse misterioso lago ficou famoso mundialmente depois de várias pessoas alegarem terem visto um monstro, parecido com um antigo dinossauro, nadando em suas águas. E os relatos não são de hoje! Os primeiros relatos de uma criatura estranha que habitaria o lago são do século VI! Desde lá, o monstro, conhecido como Nessie, foi alvo de várias “caçadas” e documentários. Até hoje sua existência não foi provada, muito embora várias pessoas jurarem que já o viram, enquanto outras têm até mesmo fotos do bicho. hehehe…

Nessie

Nessie

Sobre o tema, em uma das margens do lago existem dois museus, o Museu Oficial do Lago Ness e o Museu Original do Lago Ness. Fomos ao Oficial, que é mais recente e conta a história do lago e do monstro Nessie em várias salas através de apresentações audiovisuais. Muito bom! :)

Mas o Lago Ness é muito mais que o abrigo de uma lenda. Ele é o lago mais profundo da Escócia, o que tem o maior volume d’água e um dos maiores em extensão. É tão profundo (média de 144m, profundidade máxima de 230m) que estudos mostram que poderíamos colocar toda a população mundial multiplicada por três dentro do lago e mesmo assim não o encheríamos. Além disso, seu volume de água é maior do que a soma de TODOS os lagos da Inglaterra e do País de Gales. Suas vistas são lindas, suas águas escuras e frias.

Urquhart Castle Visto do Lago Ness

Urquhart Castle Visto do Lago Ness

Em uma das margens do lago fica o Urquhart Castle, um antigo castelo de um dos clãs mais tradicionais da Escócia. Lá, visitamos o próprio castelo (ruínas) e o seu centro de visitantes. Aqui, no centro de visitantes, existe um bom filme sobre a história dos clãs da Escócia. Muito informativo e bem didático para entendermos a complicada e forte relação dos clãs na história do país.

Vista Lago Ness e Torre do Urquhart Castle

Vista Lago Ness e Torre do Urquhart Castle

Nós fizemos a visita ao Museu Oficial do Lago Ness + A visita ao Urquhart Castle + um cruzeiro pelo lago tudo em um pacote da agência Jacobite. Com todas as entradas inclusas + transporte + uma ótima guia, o pacote saiu muito em conta e fez nosso dia de “caça à Nessie” bem proveitoso e confortável! hehe :)

Após passar boa parte do dia explorando o Lago Ness e seus arredores, era hora de retornar a Inverness, pegar nossas malas no hotel e nos despedir das Highlands. Ficamos com pena de não termos mais dias para explorar outros pontos famosos da área, mas gostamos tanto da Escócia que temos certeza que voltaremos lá muitas outras vezes…

Urquhart Castle

Urquhart Castle

De volta em Inverness, era hora de partir, mais uma vez de ônibus, para conhecer a ilha mais famosa da Escócia… Isle of Skye.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Edinburgh

Olá pessoal!

Como dissemos nesse post (olhe o itinerário aqui), no feriado de páscoa – que para nós foi de duas semanas -, viajamos para a Escócia e a Inglaterra, ambos países do Reino Unido.

Nossa primeira parada foi a Escócia. E começamos a visita pela capital, Edinburgh! :)

Edinburgh é uma cidade maravilhosa. Para não perder a fama dos castelos escoceses, a paisagem da cidade é dominada por um imenso castelo no alto de uma montanha que um dia foi parte de um vulcão, hoje adormecido.

Castelo de Edinburgh

Castelo de Edinburgh

Mas esse não é o único castelo da cidade. Além do famoso Castelo de Edimburgo (Edinburgh’s Castle), é nessa cidade também que fica a residência oficial da Família Real na Escócia. O castelo da rainha (Palace of Holyroodhouse) fica no canto oposto da rua do Castelo de Edimburgo, e está aberto para visitações (assim como o primeiro).

Camilla na Royal Mile - Edimburgh

Camilla na Royal Mile - Edimburgh

Edinburgh tem duas ruas principais. A primeira, do lado antigo da cidade, é a ROYAL MILE. É nela (nas suas extremidades) que ficam os dois castelos acima citados, além de várias lojas, restaurantes, um museu do whisky, a catedral…

E aqui abrimos um parêntesis: Quando chegamos na cidade, mais especificamente no nosso hostel (super recomendado – Caledonian Backpeckers), aprendemos que Edinburgh é uma das cidades do mundo onde mais se tem notícias de “atividades paranormais”, de espíritos, fantasmas… Vários documentários já tiveram a cidade como objeto de estudo, além dela ser o alvo de vários livros publicados sobre o tema.

Falamos isso aqui pois, ao falar da ROYAL MILE, temos que dizer que embaixo dessa rua existe praticamente uma outra cidade, que teve suas casas usadas como fundações para a construção de novos prédios e os “tetos” de suas ruas “fechados”. É como se existisse uma Edinburgh subterrânea. E é nesse subterrâneo que boa parte dessas “aparições” ocorrem. Infelizmente, boa parte dessa cidade subterrânea hoje está ou destruída ou concretada, MAS…..

Na ROYAL MILE fica o Mary King’s Close. “Mary King’s Close” é, dizem, a rua mais bem preservada no subterrâneo de Edinburgh. Com algumas casas ainda inteiras, você pode visitá-la e conhecer um pouco mais da vida em Edinburgh nos ‘seculos XVI e XVII. Um plus, esse “Close” está entre os locais com mais atividade de “espíritos” da cidade. Dizem que um de seus antigos moradores dia ou outro aparece para “atazanar” a vida dos que por ali passam. Nós a visitamos, mas (in)felizmente não vimos nada por lá…

Lua Cheia em Edinburgh

Lua Cheia em Edinburgh

O curioso é que existem, em outros pontos da cidade subterrânea e em alguns cemitérios da cidade, visitas guiadas e até com presença de espíritas, paranormais e pessoas que alegam ter sensibilidade para notar presenças externas ao nosso mundo! hehehe… É literalmente uma caça aos espíritos. Para quem gosta do assunto, Edinburgh é o paraíso! :)

Voltando ao mundo da matéria concreta e saindo do subsolo de Edinburgh, a outra rua importante da cidade é a “Princess Street“, na parte da cidade nova. A rua é recheada de lojas para todos os gostos e bolsos, e tem um belo parque que fica na base do Castelo de Edinburgh.

Parque na Princess Street - Edimburgo

Parque na Princess Street - Edimburgo

Fudge no Elephant House - Edimburgo

Fudge no Elephant House - Edimburgo

Mas os pontos turísticos mais interessantes estão mesmo todos perto da ROYAL MILE. Além dos dois castelos e das outras atrações já descritas, pertinho de lá fica também o Café onde a mulher mais rica do Reino-Unido concebeu pela primeira vez o Harry Potter. É o famoso “The Elephant House“. Comemos um DELICIOSO fudge de chocolate lá, vale a visita e a pedida!

Dolly - Edimburgo

Dolly - Edimburgo

Em busca de um pouco mais de conhecimento sobre a história da Escócia e também à procura da Ovelha Dolly (aquela mesmo, o primeiro CLONE do mundo, lembram?), fomos ao Royal Museum and Museum of Scotland. Ótimo museu, gratuito, ele aborda a história da Escócia desde o tempo em que o mundo é mundo até os dias atuais. Um museu moderno, interativo, diferente… É parada obrigatória para quem visita a cidade.

Por último, já para entrar no clima do que nos esperava nos próximos dias de viagem, resolvemos escalar o Arthur’s Seat. Arthur’s Seat é um vulcão adormecido que fica praticamente do lado do centro da cidade antiga, pertinho do Castelo de Holyroodhouse e que outrora fazia parte dos campos para caça do Castelo. A escalada é ótima, e o melhor de tudo é o contato que você tem com a natureza. Nos sentimos isolados de tudo, praticamente no centro da capital do país!

No topo - Arthur's seat - Edinburgh

No topo - Arthur's seat - Edinburgh

Essa escalada” foi o primeiro de vários outros contatos com a Natureza, no seu mais perfeito estado de beleza, paz e energia positiva, que teríamos nos próximos dias na Escócia… Depois de Edinburgh, as Highlands (o “planalto” da Escócia) e todas as suas belezas, lagos e castelos nos esperavam! Essas serão cenas para os próximos posts…. :)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Clichês franceses…

A Zilda nos mostrou esse vídeo, e estou aqui compartilhando com vocês.

Ele mostra a visão que o mundo tem dos franceses, os preconceitos (no real significado dessa palavra) e seus clichês.

Muito legal e interessante. Vale a pena assistir. E o vídeo, infelizmente, não é em Português. Tem em inglês e francês, bom para treinar os ouvidos de vocês! hehehe…

Divirtam-se! ;)

Em Francês:

Em Inglês:

Hello, dear friends! :)

Hello guys, Olá galera! :)

This post is dedicated to my American family (and for me, that means ALL the Tuttles and relatives, the Akers, the Tolles, the Groys and the Shillingtons), to my American friends as well (specially to Haley and Matt, that won’t have their honeymoon in Brazil because they are coming to a Football camp in Europe! what the hell! lol), and to my French pals (for those who speak English, of course)…

I decided to write to you all after realizing that some of you may visit this blog, but as it is written in Portuguese, you probably have no clue of what we write about in here.

Well, Camilla and I are now living in France! :) Yes, we are both lovers of traveling around and we also do love living abroad, expanding our culture and our knowledge of the WORLD.

We are both continuing our college studies here in France for one year. I’m still going to Law School, and she also continues with her Computer Science course. We arrived last August (2010) and will return to Brazil in July (2011). And no, we are not married yet. And we also don’t know when that’s going to happen. lol

We are living in a city called Le Havre, north of France, in the Normandy (you all learned that it was here that the American troops arrived on the D-Day, during the Second World War).

In this blog, we try to write about our life here, and most of all, our trips to all these wonderful countries in Europe. It’s so cool to live here! Everything is really close and they have these cheap airfares that are unbeatable! So you have an idea, two weekends ago we went to Italy for 30 euros (both ways)! That’s about 45 dollars to fly to another country! :D

With all those cheap flights just waiting to be caught and saving as much money as we could on the last couple of years – and now spending it all -, we already visited:

Spain (Barcelona, Madrid, Toledo and Salamanca),
Morocco (in North Africa, we went to the Desert and rode in Camels!),
Czeck Republic (Prague),
Belgium (Brussels and Bruges),
The Netherlands (Amsterdam, Rotterdam, Breda, Eindhoven,  Marken, Volendam),
Germany (Berlin and Hannover),
Italy (Rome, Venice, Milan, Pescara, Citta Sant’Angelo),
Scotland (Edinburgh, Glasgow, Inverness, Loch Ness, Isle of Skye, Portree, Kyleakin),
England (London and Greewich),
Monaco and, finally, our beloved
France (Paris, Lille, The Mont Saint-Michel, Nice, Cannes, Marseille… just to say a few).

Our last trip was to Scotland and England! :) We got to know the country that was once the “owner” of the US, and we even went to the Royal Wedding! :)

Living in Europe is something really great. We are in the heart of the occidental civilization, with great museums, really old monuments and buildings, surrounded by HISTORY, and, at the same time, everything and everyone is so lively, dynamic (even more now, that the Spring has arrived!). We must say that we are loving our year here (as we loved our year with you guys!).

Unfortunately, we did NOT write about all those cities that we’ve visited. At least, not yet. Although, many of them have posts here, with lots of pictures to be seen! If you guys want to see those pictures or try to read what we said about each city, just type the name of the city in the search tab on the right corner of the blog! Or you may navigate the blog with the Categories also on the right side of the blog. Click on the name of the country and that’s it, the post and pictures will come up! :)

Well, I think that was a good start. If you guys are interested in knowing more, please, just leave comments here or write us on facebook! I do miss you all and the excellent time that we used to have together. I hope you are all good, just like we are! :)

With love,

Amsterdam

Olá pessoal! Espero que enquanto vocês estiverem lendo esse post, nós já tenhamos achado a Nessie (não entendeu? Clique aqui) hehehe… Na verdade, hoje é o GRANDE DIA do Casamento do Príncipe William e da nossa amiguinha Kate… Enquanto vocês estão todos confortáveis aí, no Brasil, nós provavelmente devamos estar, agora, sendo espremidos por mais algumas milhões de pessoas que devem tentar ver os recém-casados-reais passando com seu cortejo pelas avenidas de Londres… (lembrando que esse post foi escrito quando ainda estávamos na França, antes da viagem à Escócia e Londres!).

Mas voltando ao que interessa: Amsterdam é a capital da Holanda, muito embora as sedes do governo fiquem em Haia, que também é sede da Corte Internacional de Justiça e do Tribunal Penal Internacional.

É uma cidade ótima para fazer turismo, pois oferece desde roteiros culturais (tem ótimos e caros museus!) à roteiros de festas. No entanto, uma viagem para lá requer planejamento (hotéis se esgotam com muita antecedência) e dinheiro (tudo é muito caro).

Praça Damrak - Amsterdam

Praça Damrak - Amsterdam

Quando fomos em outubro de 2010, ficamos hospedados no Shelter City, albergue próximo da avenida e da praça Damrak, que fica bem no centro de Amsterdam, e próximo também do famoso Red Light District, local onde existem vários Coffe Shops, clubes de espetáculos pornôs e onde as prostitutas amiguinhas ficam nas vitrines tentando vender seus programas de 15 minutos (é a média de tempo pelo preço “regular”, se quiser mais, paga-se mais).

Canal na Red Light - Amsterdam

Canal na Red Light - Amsterdam

O bom desse albergue, além da ótima localização, é que ele é cristão (mas eles NUNCA lhe abordam tentando falar sobre Cristo ou lhe evangelizar!), o que faz com que não tenhamos nenhum problema com pessoas embriagadas, drogadas ou afins. Drogas e bebidas só são permitidas da porta para fora.

Amsterdam é uma cidade linda. Seus canais estão por todos os lados, bem como suas bicicletas. Falando nelas, está constatado que existem mais bicicletas do que pessoas em Amsterdam! E isso me faz lembrar de uma dica preciosa: Ao andar nas ruas, temos que ficar sempre atentos para não sermos atropelados! hehehe…

Fila do Museu Casa de Anne Frank

Fila do Museu Casa de Anne Frank

Tirando a Red Light, fomos ao Museu “Casa de Anne Frank“, que fica na mesma casa onde a garotinha Anne Frank escreveu seu diário durante a segunda guerra mundial. Toda a família dela e uma outra família de amigos ficaram a guerra toda escondidos na parte de trás dessa casa, até que no meio de 1944 (menos de 1 ano pra acabar a guerra!!!) eles foram denunciados e enviados aos campos de concentração. Todos morreram há alguns meses do fim da guerra, menos o pai dela, que conseguiu sobreviver. A fila é gigante, então planejem gastar pelo menos uma hora só para ela. É um ótimo museu e com certeza vale muito a pena, no entanto, pelo museu ser dentro da casa e do sótão onde a família de escondeu, infelizmente não há acessibilidade para cadeirantes. Também, como todos os museus em Amsterdam, é caro (se comparado com museus na França, por exemplo).

Ivens - Madame Tussauds

Ivens - Madame Tussauds

Fomos também ao Madame Tussauds, famoso museu de cera. Me surpreendi positivamente com esse museu, que vale cada centavo investido (18 euros!). Na primeira parte (a mais interessante), ele conta resumidamente a história da Holanda, de uma forma diferente e criativa. Muito legal mesmo. Para sair da parte educativa e chegar na parte dos bonecos de cera, passamos por um corredor escuro que mistura atores profissionais, cenários e bonecos de cera, tudo para nos pregar bons sustos! Os cardíacos, no entanto, podem optar por ir à parte seguinte do museu por um corredor de segurança, sem atores, bonecos e nem sustos! hehehe… Chegando na parte seguinte do museu, é só se maravilhar com a perfeição de todos os bonecos de cera, que são muito bem feitos e garantem boas fotos! :D

Além desses, fomos também ao Museu do Sexo. Esse dispensa comentários, a única coisa legal que achei foram os dois cintos de castidade originais do século XV e XVI (na foto). Além disso, nada muito interessante. Só fotos e vídeos pornôs antigos, e outras coisas mais trash.

No fim, ficamos sem ver dois museus super famosos de Amsterdam e que queríamos muito ir, que são o Van Gogh Museum e o NEMO, museu de tecnologia e ciências de Amsterdam.

Mas nós voltaremos lá em julho, e aí com certeza visitaremos esses dois outros museus e falaremos aqui, depois, como foi e se valem a pena! :)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Étretat, Normandia

A Normandia – região onde vivemos – fica no norte/noroeste da França, no mar que divide o continente europeu das ilhas britânicas. Foi aqui que as tropas americanas e aliadas desembarcaram, no famoso D-Day, durante a 2a Guerra Mundial.

La porte d'aval avec des bateaux partant à la pêche, 1885

Claude Monet, la porte daval avec des bateaux partant à la pêche, 1885

O clima mais frio e com chuvas frequentes faz com que muitos franceses – e estrangeiros – não escolham a Normandia como destino ou mesmo como local para morar.

Já eu, penso exatamente o contrário. Vida tranquila, segura, cidades com arquiteturas antigas e próprias, belas praias e paisagens, com uma população de franceses amigáveis, gentis e solícitos… Foi isso tudo que encontramos na Normandia, e que faz com que a pensemos como nossa segunda casa.

Aqui, como disse, existem váriasssss praias lindas, e muitas bem famosas e luxuosas, como são os casos das praias de Deauville e Trouville-sur-mer. Por sua beleza, a Normandia foi escolhida como cena de vários quadros dos impressionistas, uma boa parte deles tendo inclusive aqui habitado.

E uma das praias mais retratadas por esses impressionistas é Étretat. Claude Monet era um dos seus grandes admiradores. E nós também entramos no seu fã-clube (na verdade, entramos nos fã-clubes de Étretat e Monet! hehehe).

Mirante em Étretat

Mirante em Étretat

Uma cidadezinha linda, tranquila, com uma bela praia e incríveis vistas! Ela fica a menos de 45 minutos de onde moramos, e o ônibus para lá custa só 1 euro! :)

Saindo de Paris, acredito que a viagem de carro não demore mais de 2 horas.

E nós não vemos a hora de esquentar um pouquinho mais para podermos retornar lá! hehehe..

Fiquem com as belas fotos e, quando estiverem passeando pelo Norte da França, não deixem de conhecê-la! :)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Missa Papal e Biblioteca, Vaticano #2

A segunda vez que fomos para o Vaticano foi em Dezembro. Íamos passar o Reveillon em Roma com um casal de amigos nossos, Carol e Jõao Felipe, e eles nunca tinham ido lá. Fizemos questão de acompanhá-los em mais uma visita à Cidade Papal.

Fomos para o Vaticano dia 31 de dezembro, o último dia do ano de 2010. Começamos a visita pela Basílica de São Pedro. Ao entrarmos, vimos várias cadeiras dispostas na Nave Central (que normalmente é isolada e sem cadeiras), além de vários seguranças.

Praça Sao Pedro enfeitada natal - Vaticano
Praça São Pedro enfeitada para o Natal – Vaticano

Ficamos intrigados com toda aquela movimentação e fui perguntar do que se tratava: O Papa presidiria a última missa do ano, um pouco mais tarde naquele dia, e eles estavam organizando tudo. Logo perguntei se poderíamos assistir à missa, e o segurança disse que precisaríamos falar com a Guarda Suíça e ver se ainda restavam ingressos (gratuitos).

Guarda Suiça - Vaticano
Guarda Suiça – Vaticano

Corremos para fora da Basílica e, por sorte, o primeiro posto da Guarda Suíça que encontramos era exatamente onde distribuíam os ingressos. Melhor do que isso, foi constatar que ainda restavam ingressos para a Santa Missa. :D

Pegamos os ingressos e nossos amigos foram visitar o Museu do Vaticano. Nós já tínhamos ido quando da nossa primeira visita e resolvemos descobrir o que para mim é a maior joia do Vaticano: sua Biblioteca.

Papiro - Biblioteca - Vaticano
Papiro – Biblioteca – Vaticano

A Biblioteca do Vaticano passou alguns anos totalmente fechada. Estava sendo catalogada, reorganizada e renovada.

Alguns anos depois, no final de 2010, ela foi reaberta. Para comemorar, o Vaticano montou toda uma exposição especial (CONOSCERE LA BIBLIOTECA VATICANA: UNA STORIA APERTA AL FUTURO), com direito à apresentação audiovisual da biblioteca, passeio por uma pequena parte dela e exposição de parte da coleção de moedas e livros raros. Sabem as moedas que Judas recebeu por trair Jesus?? Eles tem várias da mesma (quem sabe uma delas não passou pelas mãos do traíra?).

Moedas Raras - Biblioteca - Vaticano
Moedas Raras – Biblioteca – Vaticano

Hoje, podemos pedir autorização e, com ela, explorar os seus mais de 40 quilômetros de estantes de livros, enciclopédias, papiros… Basta que você seja um estudioso, cientista, pesquisador…

A apresentação foi ótima, deu para a gente aprender bastante sobre a Biblioteca, sobre seu conteúdo e ainda vimos alguns dos livros, papiros e moedas mais raros do mundo.

Livro relativo a Buda escrito em Ouro - Biblioteca - Vaticano
Livro relativo a Buda escrito em Ouro – Biblioteca – Vaticano

Infelizmente, a exposição saía de “cartaz” em janeiro de 2011 se não me engano, e hoje, para visitar a Biblioteca, só sendo alguém do meio científico e tendo a prévia autorização (você a pede pelo site deles!).

Papa Bento XVI - Vaticano
Papa Bento XVI – Vaticano

Depois da bela visita, fomos ver a Missa presidida pelo Papa! Estava LOTADAAAA, e foi um sufoco conseguir ver o Papa. No entanto, na entrada e na saída, ele passou bem do nosso lado! Depois da missa, ele entrou no papa móvel e foi até o enorme presépio montado na Praça São Pedro, rezou um pouco, acenou para a população, e voltou para seu papa móvel e desapareceu pelas ruas do Vaticano.

Papa Bento XVI - Vaticano
Papa Bento XVI – Vaticano

No final das contas, podemos dizer que conhecemos o Vaticano por completo, assistimos à uma missa presidida pelo Papa e vimos inclusive uma parte (pequenininha) do seu maior tesouro, sua Biblioteca!

Este slideshow necessita de JavaScript.